A CPMF

Recebi por e-mail e redistribuo (com alguns aperfeiçoamentos):

[Caso alguém ache a categoria "Education" inapropriada, sugiro que pense duas vezes. Aprender a não se deixar enganar é parte importante da educação de cada um.]

A CPMF é um imposta virótico, pois se espalha em uma terrível reação em cadeia.

Isso é verdade ou é mentira? Essa é a grande discussão do momento.

Acompanhem o destino de R$ 100,00, para ficarmos num número simples.

1) A empresa "B" recebe R$ 100,00 por um produto que fabrica ou comercializa ou por um serviço que presta. A empresa "A", que pagou a fatura pelo produto ou serviço, recolhe, ao fazer o pagamento, 0,38% para o governo, ou seja, R$ 0,38. Parece pouco.

2) Os R$ 100,00 recebidos pela empresa "B" entram no seu caixa. Ela os usa para cobrir parte da sua Folha de Pagamento e, por conseguinte, deposita os mesmos R$ 100,00 na conta de um dos seus empregados, o Seu Zé. Nesse processo também a empresa "B" recolhe para o governo mais R$ 0,38 — sobre os mesmos R$ 100,00. Ou seja, a CPMF está sendo paga pela segunda vez sobre os mesmos R$ 100,00.

3) O Seu Zé usa os R$ 100,00 para pagar a conta do supermercado (empresa "C"). Ao fazer o cheque para pagar o supermercado, ou a sacar o dinheiro no Caixa Eletrônico para pagar o supermercado (empresa "C") em cash, o Seu Zé recolhe para o governo mais 0,38%. É a terceira vez que o imposto é pago sobre os mesmos R$ 100,00.

4) Os R$ 100,00 que o Seu Zé deixou no supermercado (empresa "C) serão usados pela empresa para comprar da empresa "D" mais bens que lhe permitam refazer o estoque das prateleiras. Lá vão para a governo mais R$ 0,38. É a quarta vez que o imposto é pago sobre os mesmos R$ 100,00.

5) A empresa "D", da qual o supermercado comprou os produtos para colocar na prateleira usa os R$ 100,00 para pagar algum de seus empregados ou para comprar algum insumo de que precisa. Lá vão mais R$ 0,38 para o governo. É a quinta vez que o imposto é pago sobre os mesmos R$ 100,00.

E a cadeia continua, numa espiral interminável.

Mas reparem: ao final desse pequeno percurso que esboçamos, os mesmos R$ 100,00 foram tributados cinco vezes, o que rendeu ao governo não R$ 0,38, mas R$ 1,90 (ou seja, 1,90% de R$ 100,00, ou 0,38% de R$ 500,00).

Ocorre que as quatro empresas que aí aparecem têm como se defender. Seus respectivos departamentos financeiros se encarregarão de repassar ao preço final das mercadorias que comercializam ou dos serviços que prestam o custo que elas tiveram com a CPMF.

Então, a quem restará pagar, sem chiar, sem poder sonegar, e sem ter a quem repassar? O Seu Zé. Mesmo que ele não tenha conta em banco e receba o seu pagamento em dinheiro vivo. Se ele receber em dinheiro vivo, quando ele gastar os R$ 100,00, não pagará R$ 0,38 sobre cheque ou saque, mas continuará a pagar os vários R$ 0,38 embutidos nos preços das mercadorias que adquire ou dos serviços que lhe são prestados, em toda a cadeia produtiva.

A CPMF é paga pelos quase 200 milhões de brasileiros, sim! E incide muitas vezes sobre o mesmo dinheiro. Lulla, quando jovem, não teve tempo para estudar. Quando ele afirma que só rico que tem conta em banco paga a CPMF, ou ele está demonstrando que não sabe fazer contas ou está mentindo deslavadamente. A Dilma Roussef, que também disse a mesma balela, estava empenhada em ser guerrilheira quando jovem, e também não deve ter estudado matemática. Ou, então, a alternativa é que ela também é uma mentirosa deslavada.

Querem a prova?

Quanto é que o governo esperava arrecadar com a CPMF de 0,38% ao longo de 2008? Algo em torno de R$ 40 bilhões, certo? Vamos fazer uma regrinha de três?

Se R$ 40 bilhões correspondem a 0,38%, que valor corresponderia a 100%?

Como ensinava nossa professorinha, dona Zezé, com sua regrinha de 3:

R$ 40.000.000.000,00 = 0,38%

x = 100,00%

Multiplica-se em cruz e faz-se a divisão, etc…. e tal:

0,38x = 40.000.000.000,00 X 100

x = R$ 10.526.315.789.473,68

Dessa forma simples você chegará à conclusão, leitor amigo, que os R$ 40 bilhões arrecadados pelo governo através da CPMF correspondem à aplicação da alíquota de 0,38% sobre — atenção! — nada menos do que R$ 10.526.315.789.473,68.

Isso mesmo. Se você tiver dificuldade de ler, eu ajudo: dez trilhões, quinhentos e vinte e seis bilhões, trezentos e quinze milhões, setecentos e oitenta e nove mil, quatrocentos e setenta e três reais e sessenta e oito centavos.

É isso aí. O valor que o governo previa arrecadas com a CPMF é 0,38% de QUASE CINCO PIBs BRASILEIROS. Em um único ano.

Eis aí! Trata-se de prova material, escancarada, evidente, de que a CPMF tributa muitas vezes um mesmo dinheiro e de que TODOS PAGAM. E VáRIAS VEZES. Não só rico. Não só quem tem conta em banco. Quem tenta impedir os outros de entender isso, ou é ignorante ou é mentiroso mal intencionado.

Agora já se diz que até a própria oposição, que derrotou a CPMF no Senado, estaria de acordo com uma nova CPMF, um pouco menor, talvez, e dedicada, quem sabe, totalmente à saúde. Lembram-se da primeira CPMF? Também era pra ser dedicada totalmente à saúde. O babacão do Adib Jatene acreditou. Muita gente acreditou. Será que a oposição vai acreditar? Ou será que ela vai deixar que os Srs. José Serra e Aécio Neves, que esperam poder distribuir esse dinheirinho um dia, reverta uma das poucas decisões decentes que o Senado tomou em 2007?

E-Mail nos Senadores, nos Deputados, nos jornais.

Em Campinas, 14 de Dezembro de 2007

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: