Ha Long Bay

São 5h50 do sábado, dia 12 de abril. Escrevo de dentro da minha cabine no barco-cruzeiro Bhaya (vinte cabines), em plena Ha Long Bay — uma das coisas mais lindas que a natureza já aprontou. Lá fora (vejo pela janela da cabine) parece que será mais um dia brumoso, como quase todos os que passei aqui no Vietnam. Mas as formações rochosas ficam ainda mais impressionantes com as brumas: assumem um ar que, além de "misty" (brumoso), é também "mystic" (místico). Da minha janela vejo o Emeraude, outro barco cruzeiro — este mais parecido com os famosos barcos do Mississipi: branco, com aquela roda que era usada para fazer o barco andar mas que hoje é apenas decorativa. O meu barco, o Bhaya, é de madeira escura e tem um design mais adequado ao ambiente. Tem quatro andares (decks): dois com cabines (dez cabines em cada deck), um em que fica a sala de refeições, e a upper deck, para tomar sol (quando há) e simplesmente contemplar a natureza.

Boa parte dos que participam desta viagem devem estar, agora, fazendo aqueles exercícios "taichi". Eu prefiro ficar aqui. O café será às sete. Depois subirei para dar uma olhada no taichi.

Vim para cá com Les Foltos, meu amigo da área de Seattle, criador e implantador mundial de Peer Coaching. Saímos do hotel Sheraton em Hanoi ontem às 8h da manhã, num taxi, e viemos para cá — uma viagem de quase quatro horas. Chegando a Ha Long, pegamos o Bhaya, tomamos um drink de boas-vindas, almoçamos, e ficamos observando a baía. Vejam as fotos nos sites indicados abaixo.

À tardinha paramos para visitar uma fantástica caverna — cujo nome não consegui registrar (mas há uma foto abaixo). Mas registrei o cenário em centenas de fotos (que aos poucos irei compartilhando). Depois da caverna visitamos ainda uma vila de pescadores que moram em casas-barco, em cima da água o tempo todo. Depois tomamos uma taça de vinho, vim tomar banho (tudo funciona — a cabine é excelente: estou na 108 e o Les na 107, em frente), subi, tomamos mais uma taça de vinho, e jantamos (comida de primeira) — acompanhados de uma garrafa de vinho chileno.

Depois passaram o filme Indochine, com a Catherine Deneuve, que eu já comentei aqui, mas não agüentei ver até o fim — foi muito vinho antes do filme… Vim deitar. Hoje me levantei às 5h, tomei banho, arrumei minhas fotos… e estou aqui.

Em suma, um passeio absolutamente fantástico.

Ha Long Bay é candidata a uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo (não confundir com o concurso anterior das Sete Maravilhas Artificiais do Mundo). Deveria ganhar. A impressão visual que o conjunto fornece é incomparável.

Eis aqui algumas referências e fotos:

http://en.wikipedia.org/wiki/Halong_Bay 

http://www.halongbay-vietnam.net/photos/index.htm 

http://www.halongbay-vietnam.net/halong_bay_overviews.htm 

http://whc.unesco.org/en/list/672 

http://www.voteforvietnam.com/ 

Em Ha Long Bay, 12 de Abril de 2008

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: