Reclamação contra a Telefónica / TVA

Conteúdo de uma reclamação que postei ontem no site http://www.reclameaqui.com.br/ contra a Telefónica / TVA. No site coloquei números de protocolo, etc. Já divulguei nos meus perfis no Facebook e no Twitter. Divulgo agora aqui.

———-

1) Desde 17/5/2010 possuo Speedy Fibra 30 Mbits (pago na conta telefônica), em combinação com a grade completa da TVA (TVA Total), via cabo coaxial, pagando 119,11 pelo Speedy e 164,90 + 19,00 por um segundo ponto adicional (o primeiro era gratuito), num total de 303,00 mensais.

2) Em 17/10/2010 a TVA me ofereceu um upgrade para TVA Total Full HD (ainda por cabo coaxial). Depois de muita negociação, e até de um pedido de cancelamento de todo o plano, ficou acertado que eu continuaria a pagar os 119,11 pelo Speedy e passaria a pagar 204,92 pela grade completa em Full HD com DOIS pontos adicionais. Esse valor me foi debitado em conta (o Speedy na conta do telefone, a TV em débito automático no Itaú) até Setembro de 2011, um ano depois, com pequena variação nos pagamentos de 7/4 e 7/9/2011.

3) Em 18/5/2011 uma agente da TVA, chamada Rebecca, assessorada pelo controlador de qualidade Bruno, me ofereceu o Serviço Full Fiber TV HD, com a grade completa da TVA por fibra, inclusive todos os canais HD que eu vinha desfrutando por cabo coaxial, ao preço de 164,69, com DOIS pontos adicionais, mais os 119,11 do Speedy, o que daria o valor de 283,90 mensais, não sendo cobrados os dois primeiros meses do plano da TV. Aceitei e o a TV por fibra foi instalada em 21/5/2011.

4) Ao final da instalação constatei que os canais fechados de HD não estavam disponíveis. Reclamei. O instalador me mandou ligar para 0800-771-5047. Liguei, recebendo um número de protocolo, com atendimento por Felipe. Lá a Telefónica alegou que a representante de vendas Rebecca não poderia ter feito a oferta que eu afirmava que ela fez, porque aquele preço seria sem os canais HD fechados. Pedi para ela reproduzir a fita que contém a gravação da conversa que a representante de vendas teve comigo. A Telefónica alegou que levaria cinco dias para recuperar a gravação. Passaram-se cinco dias, depois mais cinco, eu ligando sempre e eles alegando não encontrar a gravação.

5) Finalmente (9/6/2011) consegui falar com uma supervisora, de nome Edilaine Souza, e-mail edilaine.souza@atento.com.br, telefone (11) 3241-9300. Ela disse que a gravação não foi encontrada. Eu argumentei que, neste caso, a Telefónica teria de cumprir o que eu afirmava ter sido combinado comigo. Nada feito.

6) Em 16/6/2011 a mesma supervisora me propôs cobrar 204,92 pela TV, mais os 119,11 do Speedy, devolvendo-me a diferença entre 204,92 e 164,69, se eu ligasse e reclamasse ao receber a fatura, enquanto ela continuava a procurar a gravação. Continuava a isenção dos dois primeiros meses (Junho e Julho) no preço da TV. Concordei.

7) A Telefónica/TVA me enviou um monte de faturas, em discordância com o combinado. Liguei, e a Supervisora disse que não poderia continuar restituindo a diferença, mesmo sem ter encontrado a gravação.

8) Recorri e fui atendido por Maria Amélia Calixto, em 4/8/2011, que se apresentou como sendo Speedy Pós-Venda. Disse que iria verificar o caso e me retornaria. Em 10/8 me fez uma proposta, que recusei, porque, entre outras coisas, incluiía o serviço de telefonia Fale à Vontade. Continuamos discutindo até que em 16/11, às 12:15 h, me ligou alguém que se apresentou como Edigelma, que me propôs o seguinte: Isenção no pagamento da TV por dois meses (Junho e Julho); 263,80 a partir do terceiro mês e por mais doze meses, valor esse que incluía a grade completa Full HD mais Speedy 30 Mbits, valor esse que se tornaria 299,90 depois do décimo segundo mês de pagamento do valor anterior (isto é, não incluídos no cômputo os dois meses de isenção da TV). Disse-me ainda que me daria um crédito de 51,04, correspondente a valor que eu havia pago a maior. Concordei.

9) A Telefónica, entretanto, não cumpriu a proposta, continuou a me cobrar 119,11 pelo Speedy mais 204,92 pela TV, num total de 324,03 (valor que oscilou para cima em Set 2011, tornando-se 341,16. Esses valores foram debitados em conta até o mês de Setembro de 2011, quando, depois de tentar junto à Telefónica que o problema fosse corrigido, sem sucesso, suspendi o débito automático da TV (não o do Speedy).

10) A Telefónica / TVA agora me ameaça cortar o serviço, colocar as faturas em protesto, colocar meu nome no serviço de proteção ao crédito. Pelos meus cálculos, todos devidamente documentados, a Telefónica / TVA ME DEVE hoje 285,91. No entanto ela está me cobrando 716.15. Já tentei falar com alguém inúmeras vezes, sem sucesso.

É isso.

Eduardo Chaves

Transcrito aqui em 28 de Dezembro de 2011

  1. Pingback: Os Views dos Meus Artigos Aqui, « Liberal Space: Blog de Eduardo Chaves

  2. Pingback: Top Posts of this Blog for all time ending 2014-04-14 (Summarized) « * * * In Defense of Freedom * * * Liberal Space

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: