Viuvez

Machado de Assis tem, em um de seus contos, uma frase que me parece extremamente perspicaz:

"A pobre mãe, viúva da pior viuvez desta vida, que é aquela que anula o casamento, conservando o cônjuge, só vivia para sua filha".

(Machado de Assis, Obra Completa, vol. II, p.758)

Em outras palavras: a pior viuvez desta vida é aquela em que morre o amor, mas o cônjuge é preservado.

Ainda em outras palavras: feliz é aquele cujo cônjuge morre antes que morra o amor… (essa é, por contraste, a boa viuvez – ou, pelo menos, a não pior).

As estatísticas oficiais refletem apenas a viuvez menos pior.

Quais seriam as estatísticas da pior viuvez? Da viuvez com o cônjuge preservado? Da viuvez dentro de um casamento que se mantém, não por amor, mas por inércia, por hábito, por conveniência, por interesse financeiro, por amor à aparência, por medo de mudança, por receio de que os filhos sofram, porque a igreja diz que o casamento é indissolúvel?

Em Bauru, 19 de Setembro de 2009

Uma resposta

  1. Pingback: Os Views dos Meus Artigos Aqui, « Liberal Space: Blog de Eduardo Chaves

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: