As Competências Essenciais para o Século 21 de Marc Prensky

Marc Prensky tem o dom de sempre me surpreender positivamente. (É verdade que de vez enquanto surpreende negativamente: ontem, aqui na WISE, em Qatar, todos os homens estavam não só de terno e gravata, mas de terno escuro – só ele de camiseta, e ainda verde. E, por cima, quando chamado ao pódio, deu uma dançadinha no caminho. Por que, pergunto eu?).

A última surpresa foi sua lista de Competências Essenciais para o Século 21. Vide http://www.marcprensky.com/writing/Prensky-Essential_21stCenturySkills.pdf.

Eu as transcrevo abaixo.

Gosto da lista e da forma como está organizada. Acho muito melhor essa forma de organização do que os Quatro Pilares da UNESCO, ou as não sei quantas Inteligências Múltiplas de Howard Gardner, que eu próprio já utilizei para organizar as Competências do Século 21.

Gosto ainda mais do “Prefácio”: O objetivo do desenvolvimento dessas competências é permitir que as pessoas sejam capazes de perseguir sua paixão, ou suas paixões, até o limite de suas habilidades. A aprendizagem é escrava da paixão (vale dizer, do interesse apaixonado, dos sonhos). A única aprendizagem que funciona é “passion-based learning”, aquela que resulta da tentativa de perseguir nossas paixões, de transformar nossos sonhos (vale dizer, nossos projetos de vida) em realidade.

Essa ideia Marc Prensky claramente toma emprestado de Sir Ken Robinson. Vide seu importante livro, The Element: How Finding your Passion Changes Everything (2008; tradução brasileira: O Elemento-Chave: Descubra Onde a Paixão se Encontra com seu Talento e Maximize o seu Potencial, 2010).

Para conseguir perseguir suas paixões, até o limite de suas habilidades, o indivíduo precisa possuir as seguintes “macrocompetências:

    • Saber qual é a coisa certa a fazer
    • Conseguir fazê-la
    • Fazê-la com os outros
    • Fazê-la de forma criativa
    • Fazê-la cada vez melhor

>Um primor de simplicidade. Tudo o mais que jamais se listou como competência do Século 21 se encaixa perfeitamente debaixo de uma dessas categorias. Temos aqui o esboço de um currículo de MBA em Educação.

Eis o que Marc Prenksy coloca debaixo de cada “macrocompetência”:

I. Saber qual é a coisa certa a fazer

  1. Comportar-se de forma ética
  2. Pensar criticamente
  3. Definir metas
  4. Fazer juizos sólidos
  5. Tomar boas decisões

II. Conseguir faze-la

  1. Planejar
  2. Solucionar problemas
  3. Executar
  4. Monitorar e Avaliar
  5. Repetir o processo

III. Faze-la com os outros

  1. Assumir a liderança
  2. Comunicar-se com indivíduos e grupos
  3. Usar tecnologia
  4. Comunicar-se com uma audiência global
  5. Comunicar-se com culturas diferentes

IV. Faze-la de forma criativa

  1. Adaptar
  2. Pensar criativamente
  3. Projetar e “mexer aqui e ali”
  4. Brincar, jogar
  5. Encontrar sua própria voz

V. Faze-la cada vez melhor

  1. Refletir
  2. Ser proativo
  3. Tomar riscos com prudência
  4. Pensar no longo termo
  5. Melhorar sempre através da aprendizagem

Vou começar a usar essa lista. É muito mais fácil convencer as pessoas da validade de uma abordagem à educação centrada em competências com base em uma lista dessas do que em qualquer outra que eu conheço.

———-

Marc Prensky‟s Essential 21st Century Skills

The Goal: To be able to follow one‟s passion(s) as far as one‟s abilities allow. In order to do that, no matter what the future brings, individuals must master the following skills:

1. Knowing the right thing to do

a. Behaving ethically
b. Thinking critically
c. Setting goals
d. Having good judgment
e. Making good decisions

2. Getting it done

>a. Planning
b. Solving problems
c. Self-directing
d. Self-assessing
e. Iterating

3. Doing it with others

a. Taking leadership
b. Communicating/interacting with individuals and groups (especially using technology)
c. Communicating/interacting with machines (= “programming”)
d. Communicating/interacting with a world audience
e. Communicating/interacting across cultures

4. Doing it creatively

a. Adapting
b. Thinking creatively
c. Tinkering and designing
d. Playing
e. Finding your voice

5. Constantly doing it better

a. Reflecting
b. Being proactive
c. Taking prudent risks
d. Thinking long-term
e. Continually improving through learning

(Note that many of these terms and ideas come from Stephen Covey‟s Seven Habits of Highly Effective People. “Tinkering‟ is from John Seeley Brown. )

———-

Em Doha, 9 de Dezembro de 2010
(Pequena edição em São Paulo, 25 de Setembro de 2013)

  1. Pingback: Os Views dos Meus Artigos Aqui, « Liberal Space: Blog de Eduardo Chaves

  2. Pingback: Top Posts of this Blog for all time ending 2014-04-14 (Summarized) « * * * In Defense of Freedom * * * Liberal Space

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: