Megalivrarias. shoppings, conjuntos de cinemas…

Por que é que livrarias, quando aumentaram de tamanho, se tornaram megalivrarias, enquanto os mercados se tornaram supermercados ou até mesmo hipermercados?

Pergunta boba que me ocorreu ontem quando visitei, pela primeira vez, a magnífica mega Livraria Cultura, inaugurada no Shopping Iguatemi Campinas no início de Abril (dia 9, pelo que fui informado), quando eu estava ainda no Vietnam. Ontem, apesar da chuva, decidi que iria conhecê-la. Por causa do feriado do Dia de Trabalho, o shopping estava insuportavelmente cheio. Os sete andares de estacionamentos cobertos estavam lotados e, assim, depois de perder uns 20 minutos tentando estacionar lá, resolvi estacionar a céu aberto, na chuva, lá perto do Restaurante Montana Grill, do Chitãozinho e Xororó.

Os corredores do shopping estavam intransitáveis e, inevitável, a Livraria Cultura superlotada. Estava linda — mas ainda com problemas de atendimento, de localização de livros, etc. Deixo ao Pedro Herz a sugestão de que mande imprimir um pequeno folheto — um mapinha — com a descrição de onde se localizam as várias áreas da livraria. Isso é necessário porque, como a do Conjunto Nacional, em São Paulo, a Cultura de Campinas ocupa três andares parcialmente vazados, com escadas. A decoração é de muito bom gosto e o acervo, enorme — destacando-se, para o meu gosto, os livros em língua estrangeira (Inglês, Francês e Espanhol).

Com a inauguração da Mega-Cultura, o Shopping Iguatemi Campinas, que já tem uma Mega-Saraiva, recentemente ampliada e redecorada para enfrentar a concorrência, se torna o melhor espaço que eu conheço para comprar livros, DVDs, CDs, etc. (A Cultura não vende computadores, software, videogames: a Mega-Saraiva, sim). Não sei de nenhum outro shopping no Brasil que possua uma Mega-Saraiva e uma Mega-Cultura — juntas, oferecem, creio eu, algo perto de cinco mil metros quadrados de espaço para os amantes do livro, filmes e músicas.

Os shoppings mais finos de Campinas ficam todos numa seqüência de uns poucos quilômetros ao longo do trecho urbano da Rodovia Dom Pedro I, que liga Campinas a Jacareí, ou, se preferem, que liga as rodovias dos Bandeirantes, Anhangüera, e, depois, a Fernão Dias, às rodovias Presidente Dutra e Governador Carvalho Pinto. Há o Iguatemi, o mais antigo, depois o Galleria Shopping (que também pertence à holding Iguatemi, e onde opera uma Minimega-Siciliano, agora comprada pela Saraiva), e o maior de todos, e mais recente, o Parque Dom Pedro Shopping (do grupo Sonae-Sierra, que, com seus 110 mil m2 e cerca de 380 lojas se jacta de ser "o maior centro de moda, cultura e lazer da América Latina"), com a Fnac (para a Fnac, dispensa-se o "mega", pois ela, desde quando criada em Paris, sempre existiu apenas em dimensões grandes, e vende telefones, câmeras, computadores, software, videogames, etc.).

Fico me lembrando da época em que era difícil achar livrarias bem abastecidas e com bom atendimento. Eu ia sempre à Livraria Ciências Humanas, em São Paulo, um muquifo no porão de um prédio na Sete de Abril, ou à Livraria Internacional, um outro muquifo em um andar alto na Líbero Badaró — ou, aqui em Campinas, a Livraria Pontes, do Reinaldo Pontes (que era um muquifinho, depois ampliado para três ou quatro andares "fininhos"). Depois, em São Paulo, surgiu a Brasiliense, na Barão de Itapetininga, de bom tamanho, mas ainda com um cara tradicional. Depois surgiu a rede de livrarias Siciliano, agora comprada pela Saraiva. A Saraiva, que era editora, abriu livrarias, também criou uma rede, depois criou as primeiras mega-lojas em Shoppings (seguindo o modelo da Borders e da Barnes & Noble, americanas, com coffee shop e tudo), torna-se agora, com a compra da rede Siciliano, a maior rede de livrarias no Brasil. A Cultura tem poucas lojas (mas está se expandindo — vide adiante o link para a entrevista de Pedro Herz), a Fnac, também, mas são lojas fabulosas, com as quais a Saraiva vai ter de concorrer pesado se quiser manter sua fatia de mercado. Vai ser interessante observar a concorrência das duas mega-livrarias no Shopping Iguatemi Campinas. Não invejo a sorte de meu amigo Eurípedes Avelino Menezes, gerente da Mega-Saraiva ali.

Enfim, para aqueles que, como eu, só contam entre seus vícios os livros, os DVDs e os CDs, Campinas está de parabéns com suas três mega-livrarias e sua minimega-Siciliano. Vamos ver o que a Saraiva resolve fazer com a Siciliano do Galeria, agora que comprou a rede. A Sicialiano era, originalmente, no Shopping Iguatemi. Quando a Saraiva apareceu com sua mega-loja, todas as demais livrarias, a Sicialiano inclusive, migraram para outros shoppings, a Siciliano indo para o simpático, mas pequeno, Galleria.

Deve haver alguma livraria no Campinas Shopping, que fica ao lado da Anhangüera e da Santos Dumont, quase do outro lado da cidade ("do lado pobre"), mas não sei qual é. Por causa da proximidade e riqueza de opções dos outros três shoppings mais próximos de mim, quase nunca vou ao Campinas Shopping, que é relativamente grande (dez cinemas, etc.).

Por falar em cinemas, os shoppings também mataram os cinemas que ficavam fora deles. O Iguatemi tem oito salas de cinema (CineMark) e está expandindo o setor (aparentemente criando mais duas). O Galleria tem, se não me engano, seis (CineSystem). O Parque Dom Pedro, exagerado como sempre, tem quinze (KinoPlex). O Shopping Campinas, dez (Box Cinemas). Só aí cerca de quarenta. Há mais alguns mini-shoppings na cidade que possuem algumas poucas salas também (Ouro Verde, na Rua Conceição; Jaraguá, na Avenida Brasil; Unimart, na Av. John Boyd Dunlop). O Ventura Mall, pequeno, pertinho de minha casa, não tem cinema. Mas ao todo, são quase cinqüenta salas de projeção dentro de shoppings. Ninguém, fora, consegue concorrer com tamanha variedade de opções.

Verifique os sites dos principais shoppings de Campinas:

Shopping Iguatemi Campinas (o mais chique e antigo):
http://www.iguatemicampinas.com.br/ 

Galleria Shopping (o mais simpático):
www.galleria.com.br/

Parque Dom Pedro Shopping (o maior):
http://www.parquedpedro.com.br/ 

Campinas Shopping (talvez o mais popular):
http://www.campinasshopping.com.br/ 

Verifique os sites das principais mega-livrarias:

Livraria Cultura:
http://livrariacultra.com.br/

Livraria Saraiva:
http://www.livrariasaraiva.com.br/ 

Livraria Siciliano:
http://www.siciliano.com.br/

Livraria Fnac:
http://www.fnac.com.br/

Ah, quase me esqueço! A Livraria Nobel também tem uma rede —
esta, de franquias. Meu amigo Nivaldo Cordeiro tem uma loja, no mini-shopping bem em frente ao Conjunto Nacional, em São Paulo, naquele prédio que pegou fogo há vários anos. E minha amiga Jurema Sampaio-Ralha me garante que há uma Livraria Nobel no Galleria Shopping, da qual realmente não me lembrava.

 

O site da Livraria Nobel é:

http://www.livrarianobel.com.br/

Por fim, verifique também a interessante entrevista de Pedro Herz, proprietário das Livrarias Culturas, dada ao UOL Business em Setembro de 2003, em que ele anuncia a intenção de criar uma nova mega-livraria por ano:

http://www1.uol.com.br/economia/business/entrevista20030912.shl

Em Campinas, 3 de Maio de 2008

  1. Pingback: Os Views dos Meus Artigos Aqui, « Liberal Space: Blog de Eduardo Chaves

  2. Pingback: Top Posts of this Blog for all time ending 2014-04-14 with number of views « * * * In Defense of Freedom * * * Liberal Space

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: